Cooperativa gera trabalho e renda a moradoras da faixa de dutos

Jeane Gabriela dos Santos, participante da cooperativa Papo de Mulher

 

Antes, um encontro entre amigas do Jardim Jaqueline, bairro da Zona Oeste da cidade de São Paulo, para trocar ideias, experiências e falar das dificuldades enfrentadas no dia a dia. Hoje, essa conversa se transformou em um negócio: a produção e comercialização de panos de prato. A Cooperativa de Artesanato Papo de Mulher é uma das ações do Projeto Faixa Limpa, iniciativa da Transpetro que promove educação ambiental, melhorias, preservação, educação e geração de renda nas comunidades situadas ao longo da faixa de dutos.

A cooperativa é coordenada pelo Instituto GEA – Ética e Meio Ambiente. A presidente do instituto, Ana Maria Domingues Luz, conta que, como as mulheres faziam panos de prato, se pensou em um empreendimento comercial, uma cooperativa. Para a ideia se tornar realidade, os primeiros passos foram a montagem e a oficialização da cooperativa, a compra dos insumos (linhas, tintas, máquina de costura industrial). Além de treinamentos técnicos e da elaboração de um plano de negócios.

“Ver o empreendimento comercial de pé foi emocionante”, recorda Ana Maria, completando que o grande nó inicial da questão, a comercialização da produção, foi superado com a venda em outros bairros e a participação das cooperativadas em feiras.

Como algumas das mulheres nunca tiveram uma renda oriunda do trabalho, os ganhos com a cooperativa representaram uma melhora na autoestima. “O dinheiro que eu gastava na farmácia, agora gasto para me arrumar”, disse Isabel Aparecida Maciel do Amaral, uma das cooperativadas.