Navio João Cândido conclui viagem histórica ao Chile

Primeiro navio suezmax entregue à Transpetro por meio do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), o navio João Candido concluiu, no início do mês, uma viagem histórica: a inédita operação de exportação de petróleo do pré-sal de uma embarcação encomendada pelo programa. No dia 1º de agosto, o gigante dos mares fundeou próximo ao Terminal de Angra dos Reis, um mês depois de iniciar a odisseia que o levou até o Chile, comprovando sua segurança e eficiência, também em rotas de longo curso.

A viagem, iniciada no próprio terminal fluminense, tinha como objetivo transportar 1 milhão de barris de petróleo até águas chilenas, onde seria descarregado no Porto de Talcahuano, em uma operação ship to ship, e também no Terminal de San Vicente. O descarregamento foi realizado com sucesso, mas, para isso, o navio superou obstáculos, como mar agitado e ondas enormes.

Na passagem pela costa argentina no caminho de ida, o suezmax encarou a fúria do mar pela primeira vez, com ondas de até 8 metros, acompanhadas de rajadas de vento de quase 70 km/h. Já em águas chilenas, após cruzar com tranquilidade o Estreito de Magalhães, passagem natural entre os oceanos Atlântico e Pacífico, teve pela frente novos desafios como tempestade de neve e temperaturas negativas. Momentos em que a alta tecnologia da embarcação e seu sistema de calefação garantiram o conforto e segurança da tripulação.

Já no retorno ao Brasil, ainda em águas chilenas, ondas de 15 metros foram enfrentadas pelo navio, que rumou para os canais patagônicos, desviando de novas tempestades e possibilitando uma navegação mais veloz. De volta aos mares brasileiros, o gigante de 274 metros foi recebido sem contratempos, completando sua viagem de 7.078 milhas náuticas, equivalente a mais de 13 mil quilômetros.

O navio João Cândido foi o segundo entregue à Transpetro pelo Promef. Atualmente, sete embarcações do programa já estão em operação e outras 14, em construção.